Caconde nasceu com atividade essencialmente agrícola e teve o café como importante fator de sua economia. Mas a partir de 1966, constituída Estância Climática, abraçou o turismo.
 
Conheça nossa cidade
Histórico de Caconde
Pontos turísticos
Curiosidades de Caconde
 
Conheça nossa cidade

Hoje, por ser privilegiada pela natureza, começa a se destacar no mundo dos esportes como um pólo de aventura. Seus rios e riachos maravilhosos e desníveis geográficos espetaculares proporcionam a pratica de um sem número de esportes de aventura, turismo ecológico e contemplativo.


Vista parcial da cidade

A cidade possui excelente infra-estrutura para o turismo com boas pousadas, excelentes restaurantes e operadoras. E o mais importante tudo acontece nas proximidades. É possível fazer o cascading de manhã e um rafting a tarde e fechar o dia assistindo o por do sol do mirante.

No dia seguinte outras aventuras: trekking, escalada, bike, bóia-cross, trilhas com rapel e tirolesa, esportes náuticos e para os mais arrojados, um canyoning que após uma seqüência de cachoeiras termina com uma de mais de 70 metros, escolha sua aventura, e venha nos visitar.

 
Histórico de Caconde
Típica cidade do interior paulista, hoje com aproxidamente 19 mil habitantes, nasceu como vila com o nome de Nossa Senhora da Conceição das cabeceiras do Rio Pardo. Fundada pelo capitão Pedro Franco Quaresma em 1775. As margens do Rio Bom Sucesso fixaram, garimpeiros, caçadores do sertão e bandeiras; atraídas pelo ouro que reluzia nos riachos da bacia do alto do Rio Pardo.

Outro motivo que promoveu a vinda das bandeiras e o rápido crescimento do povoado, foi o atalho “Qua-aque-onde” (em tupi guarani significa quebrada notável por onde passam muitos) caminho este que possibilitava transitar com mercadorias, sem serem fiscalizadas e taxadas pela capitania de São Paulo, como acontecia intensamente no “Caminho Geral” ou “Estrada de Goiases”, por onde se deu a conquista dos estados de Minas Gerais e Goiás.

Embora comemore seu aniversário dia 08 de dezembro (Dia da Padroeira) a primeira missa realizada na capela já reedificada, no local, em que é hoje a Igreja Matriz, foi no dia 24 de dezembro de 1824, marco da mudança e fundação do povoado já com o nome de “Caconde”.

Com a escassez das riquezas minerais, nesta época já se observava claramente o início do ciclo pastoril, que teve papel fundamental no desenvolvimento do já estabelecido município. Alicerçado na criação de bovinos e, sobretudo na cultura do café, a agropecuária foi a mola propulsora da economia de toda região, atingindo o auge nas primeiras décadas do século passado, quando a política do “café com leite” imperava no Brasil. Porém com a traumática quebra da bolsa de nova York e a desvalorização do café no mercado internacional, a economia de Caconde sofreu um grande reves, levando muitos fazendeiros a perderem tudo, inclusive suas terras, ocasionando grandes transformações nas relações sociais existentes.

As grandes fazendas foram fragmentadas em pequenas propriedades, promovendo a marcante colonização italiana, estimulada pela facilidade de conseguir trabalho ou mesmo de adquirir suas próprias terras. Embora a agricultura, ainda hoje, seja a principal fonte econômica do município, ela está longe de satisfazer os anseios e as necessidades da comunidade, provocando uma busca incessante por novas alternativas que possibilitem a geração de empreendimentos, empregos e rendas.

Os primeiros sinais indicadores para o turismo em Caconde começaram a surgir na década de 60 com a construção da Usina Caconde, que, criando um maravilhoso lago, começou a despertar interreses e disparar ações publicas no município, a ponto de 1966 conquistarmos por comprovadas qualidades o titulo de “Estância Climática”. A primeira iniciativa para recepção de turistas deve-se as proprietárias de fazendas, sítios e chácaras que foram oferecidas para aluguel, algo bem próximo do chamado turismo rural. Paralelo a esta iniciativa, eventos marcantes como festivais de MPB, Festival de Verão, Carnaval na rua, Caconfolia e outros investimentos públicos na criação do parque Prainha, Praça do Mirante e outros, colocaram Caconde na mídia regional mostrando a cidade com grande potencial turístico.

Mas foi no final das décadas de 90, que a exemplos de outras cidades, começou se perceber o grande potencial natural, desde sempre existente e não notado até então. Cachoeiras, montanhas com matas nativas escarpas rochosas, rio perene e com maravilhosas corredeiras, todos naturalmente preparados. Nasce daí a nova modalidade de turismo, o de aventura, bastando criar mão de obra especializada, formatar produtos e pacotes, o que foi feito em tempo recorde e com qualidade pelas agencias locais que conseguiram em poucos anos colocar Caconde no cenário nacional, pela qualidade dos seus serviços, valorizado pelos elementos que a natureza oferecia.

Surge então para oferecer emoções, vivencias e oportunidades mil, a Estância Climática de Caconde transformada em “Caconde, a Estância da Aventura”.
 
Pontos turísticos
Igreja Matriz

Construída em estilo românico puro no ano de 1955, com projeto do arquiteto Dr. Bruno Simão Magro, ex-professor da Escola Politécnica (USP) e ex-diretor da FAU (USP). Possui três telas a óleo em estilo clássico do pintor cacondense Edmundo Migliaccio: Nossa Senhora da Glória, Imaculada Conceição e Jesus Crucificado datadas em 1961.


Fachada da igreja

Jesus Crucificado

Localiza-se na praça principal da cidade, conjuga sua imponência à homenagem feita pelos municípios ao mais iminente dos seus representantes, dando-lhe o nome de Praça Ranieri Mazzilli. Deputado em vários mandatos, Ranieri Mazzilli, foi Presidente do Congresso Nacional em mais de uma gestão, o que o levou por diferentes circunstâncias a assumir várias vezes o cargo de Presidente da República.


Nossa Senhora da Glória

Imaculada Conceição
 
Parque Prainha

Área de 60.000 m², a margem direita da Represa Caconde, próximo a barragem e distante 8 km da cidade. Possui uma grande variedade de atividades bem distribuídas em toda sua área. Entre elas estão:

  • Área de camping, interna na mata nativa, com todo a infra-estrutura básica.
  • Quiosques ao longo da orla da represa.
  • Trilhas com trechos diversificados de mata, beira da represa e campos abertos; muito apreciadas para caminhadas ao amanhecer e ao entardecer.
  • Áreas reservadas para reunião de grupos ou famílias com churrasqueiras.
  • Bancos de areia para "peladas".
  • Quadra de areia para vôlei.
  • Espaços de brinquedos infantis como "casa das bonecas" e "casa do Tarzan".
  • Pista de moto-cross.
  • Rampa de embarque e desembarque para lanchas, jet-ski, canoas, etc...
  • Amplo estacionamento.
Vistas panorâmicas do Parque Prainha
 
Praça do Redentor

Localizada num dos pontos mais alto da cidade, tem a estátua do Cristo Redentor cercada por uma graciosa praça, ajardinada, com ambientes diversificados, bem iluminada e com um bom estacionamento.

Pela sua posição, tornou-se um mirante ideal para fotos panorâmicas, pois oferece uma bela visão tanto da cidade bem próxima, como, bem ao fundo, dos últimos contornos da Serra da Mantiqueira, onde se vêem as Escarpas do Rosseto, a Capelinha do Pontal na "Serra do Quilombo", o Morro do Mirante e muito mais.

A praça tanto pode ser alcançada por carro como a pé, pois esta ligada à parte baixa da cidade por uma grande e bem planejada escadaria que permite além de um bom exercício físico, a oportunidade de descortinar aos poucos a paisagem a sua frente.

Estátua do Cristo Redentor
Escadaria de acesso a praça
 
Praça do Mirante Pedro Ribeiro

Situada a 14km da cidade, a uma altitude de 1.195m, com 360º de visão de horizonte, é um camarote de luxo para se apreciar o espetáculo da natureza. Ao norte no meio à beleza do relevo, à vista-se a cidade de Caconde. A leste contempla-se a beleza grandiosa do lago da Represa Graminha que ao amanhecer faz-se dourado ao refletir a luz do sol e prateado ao anoitecer ao espelhar a luz da lua.

Praça do Mirante

Ao sul, por onde se chega transpondo o seu implicante portal 11:11, também se avista o Cristo Redentor de Poços de Caldas, incrustado nos contornos da Mantiqueira. E a oeste, o relevo e o contorno dos morros mais próximos, se emprestam como molduras à mãe natureza que, com sua divina arte, oferece aos observadores, grandiosos espetáculos ao por do sol.

A Praça do Mirante foi construída com a preocupação de manter e divulgar a já existente alma mística e esotérica do local que se avizinha da igrejinha do grande rezador Sr. Pedro Ribeiro a quem são atribuídas fortes rezas com efeitos milagrosos. Além da intenção descrita pretende-se oferecer ao cidadão do 3º milênio, da Era de Aquário, um templo ecumênico, um espaço que com a sua simbologia dá boas vindas a todas as correntes de pensamento.

Vista panorâmica da Praça do Mirante
A represa vista do Mirante

Com o formato de um trevo de 04 folhas, a praça recebe seus visitantes, mostrando a sorte que tiveram pela oportunidade dessa visita. Visita que permite o contato com uma intricada conjugação de símbolos que vão desde as pirâmides à estrela de seis pontas (da androginia perfeita ao sexo dos deuses ), da cruz de Malta à flor de Lotus (chakra da coroa), dos trigramas do Ba-Guá ao útero da consciência cósmica e do portal do resgate dos espíritos evoluídos à seqüência numérica chave da passagem entre as diferentes dimensões.

Mirante
Estrela de Davi

Tudo isso cria para os entendidos um clima de familiaridade e êxtase, e, para os não entendidos uma sensação de curiosidade. Enfim, um lugar de onde se contempla o universo exterior através da magnifica natureza ao seu redor, e se alimenta o universo interior através do relaxamento, energização e meditação. Um lugar que faz a gente se sentir muito mais perto de Deus.

 
Curiosidades de Caconde
  • É cacondense o brasileiro que mais vezes assinou o livro de posse da Presidência da República do Brasil. Deputado Pascoal Ranieri Mazzilli, presidente do Congresso Nacional por vários mandatos, assumiu, por circunstâncias diversas, temporariamente a Presidência da República por várias vezes, inclusive na época da renúncia de Jânio Quadros. A ele é atribuída a responsabilidade da garantia da paz nacional durante aquele período atribulado da nossa história, até a ascensão dos militares.
  • A 1ª Estação Rodoviária do Brasil foi construída em 1954, em Caconde, graças a Ranieri Mazzilli, que, enquanto Presidente do Congresso Nacional, interferiu junto ao ministério dos transportes para contemplar e reforçar a administração de seu irmão Dr. Hugo Mazzilli então prefeito da cidade.
  • A Usina Hidrelétrica de Caconde é a 1ª no hemisfério Sul e a 2ª no mundo a usar o sistema subterrâneo de sala de Máquinas (Turbinas), o que obrigou a construção de um túnel de fuga, na extensão de 2,5 km, para água turbinada, o que provocou um desvio do leito do Rio Pardo e criou o trecho hoje conhecido como “Trilha do Fuga”.
  • A Igreja Matriz de Caconde, que conforme afirma o arquiteto responsável pela sua última reforma, na década de 50, foi a 1ª construção de estilo puramente românico no Brasil, expõe no seu interior três grandes e maravilhosas telas do pintor cacondense Edmundo Migliaccio.